sábado, 27 de dezembro de 2014

On 02:54 by Uanderson Aquino   1 comment


O texto de hoje é um pesar que tenho que passar aos leitores do blog que como já anunciei deixara de ser atualizado em 2015. O Blog UAN Noticias/ Carnaval criei em 2011 com o intuito de mostrar o carnaval de todo Brasil, especificamente às escolas de Samba. Em se tratando de transmissão e divulgação, pouco se tem sobre as escolas de samba de Manaus. As escolas Capixabas conseguiram a dois anos seguidos transmissão nacional pela Band, mas mesmo assim é um carnaval pouco divulgado.

As afiliadas da Globo em sua maioria transmitem o carnaval do Rio, e os de São Paulo que são mais recentes, esses últimos sendo transmitidos a partir de 1995 pela Globo. A exceção vinha de Porto Alegre cujas escolas de samba tinha forte apoio da RBS TV que é a maior afiliada da Globo no Brasil, é literalmente a Globo do Sul, que optava em transmitir as escolas de samba de Porto Alegre ao invés do carnaval de São Paulo.

Venho acompanhando o carnaval de Porto Alegre já alguns anos, inclusive já fiz um artigo neste blog o qual colocava o carnaval de Porto Alegre como o terceiro do País, e o que me fez ter essa opinião era além da evolução da qualidade do espetáculo, também justamente pela cobertura que a RBS TV dava ao evento, com amplo espaço na programação da emissora como em outras mídias que a empresa dispõe, como os jornais Zero Hora e o ClicRBS. 

Leia Também:




Isso inclusive era tido como um problema para as escolas paulistanas que não engoliam bem o fato do seu carnaval não ser transmitido em rede nacional assim como ocorre com o carnaval do Rio. E como disse acompanho o carnaval de Porto Alegre ha um bom tempo, e assisti ao vivo pela internet pelo site ClicRBS.

Porem faz uns dois anos que a RBS deixou de transmitir pela internet, isso para mim já foi um mal sinal, e neste ano o site da RBS simplesmente tirou do ar o blog de carnaval que ficava no menu “Entretenimento” do site. Isso já foi um recado de que a RBS estava deixando de lado o carnaval de seu Estado, mas eu não encontrava nada na internet que me dessa essa informação, ai procurando encontrei o blog “Carnaval de Porto Alegre” e encontrei essa noticia, a não cobertura do carnaval de Porto Alegre em 2015 pela RBS TV, que ira transmitir o carnaval de São Paulo.

A RBS e a Globo do Rio Grande do Sul, como já disse acima, por isso por mais que possa ter passado por algum aperto financeiro, que neste caso não é exclusividade da emissora, hoje praticamente todas as empresas estão enxugando a folha de pagamento, ate a Record que tem uma mesada da Universal tem demitido, nada justifica a postura da RBS em deixar de lado o seu carnaval, as suas escolas de samba que ainda sofrem com a falta do sambódromo fixo. Na realidade a RBS provavelmente se vendeu as pressões da Globo que sempre quis enfiar goela abaixo o carnaval paulistano a todo Brasil para agradar o mercado publicitário que é predominantemente paulistano, nem os índices de audiência justificariam, uma vez que o carnaval de Porto Alegre rendia ótimos índices a RBS TV.

Se exista falta de qualidade plástica em uma escola de samba ou outra, isso pode ser resolvido. Bato na tecla sempre que o carnaval de São Paulo, hoje suntuoso já foi rudimentar onde nem os paulistanos dava a atenção. Começou a ganhar notoriedade após receber forte investimento financeiro do governo de São Paulo e de empresas deste estado em meados dos anos 90, alem do forte apoio midiático dado pelas organizações Globo. Um dia São Paulo já foi chamada de Túmulo do samba, e hoje já tem a pretensão de dizer que esta em par de igualdades com o carnaval carioca.

Se São Paulo conseguiu porque Porto Alegre não poderia? Porque a RBS resolveu dar para trás e abandonar suas escolas de samba? Ao mesmo tempo como pode as escolas de samba de Porto Alegre aceitarem isso com tanta passividade já que o contrato com a RBS para transmissão era ate 2016?

E com pesar que li e dou esta noticia de um carnaval que tinha potencial mas simplesmente esta se deixando morrer na praia.

Uanderson de Aquino.



Vejam abaixo o vídeo do desfile da Campeã do carnaval de Porto Alegre 2014.


domingo, 28 de setembro de 2014

On 09:17 by Uanderson Aquino   No comments
O novo amor de Claudia Leitte pela Mocidade Independente de Padre Miguel teve um preço. Segundo o site Retratos da Vida, a cantora recebeu o valor de R$ 1 milhão para ser rainha de bateria da escola no próximo carnaval.

Além de desfilar na Sapucaí à frente dos ritmistas, ela fará shows na na quadra de Vila Vintém e no Clube Monte Líbano, na Lagoa, em janeiro. O cachê é mais uma das extravagâncias do carnaval milionário da Mocidade, bancado pelo patrono, o bicheiro Rogério Andrade, e que terá Paulo Barros como carnavalesco.

É uma situação inversa do que tem acontecido no mercado que virou o posto de rainha de bateria no carnaval carioca. Enquanto muitas delas pagam pela coroa em troca de publicidade, a Mocidade pagou caro para ter uma estrela em seu desfile.

De acordo com a publicação, R$ 1 milhão é o valor do o subsídio dado pela Prefeitura do Rio às 12 escolas do Grupo Especial. O fato de a cantora ter recebido cachê para desfilar foi tratado como assunto sigiloso na negociação, e deveria ter continuado assim.

Fonte: O Povo


segunda-feira, 19 de maio de 2014

On 18:52 by Uanderson Aquino   No comments
A prefeitura está finalizando um acordo com a Liga Independente das Escolas de Samba do Rio de Janeiro (Liesa) que inclui a possibilidade de patrocinar duas agremiações do Grupo Especial com o enredo alusivo aos 450 anos da cidade em 2015. A data especial será comemorada no dia 1º março, pouco depois do Carnaval.

Segundo o presidente da Liesa, Jorge Castanheira, terá que haver sorteio para a escolha das duas e o acordo terá que passar ainda por plenária a ser marcada com representantes das 12 escolas. Castanheira adiantou que, além das duas sorteadas, outras agremiações também poderão adotar o mesmo tema, mas terão que buscar patrocínios por conta própria.

Além de Portela e União da Ilha, que já tinham escolhido os 450 anos do Rio como tema e vinham negociando o assunto com a administração municipal, outras escolas já manifestaram desejo em levar o aniversário histórico do município para a Marquês de Sapucaí, entre elas, Imperatriz Leopoldinense, Unidos da Tijuca, Beija-Flor e Mangueira.

Para o presidente da Beija-Flor, Nelsinho David, os 450 anos do Rio “podem dar um belo samba”. “Tem uma gama enorme de possibilidades a serem exploradas na Avenida”, avaliou. Fernando Horta, presidente da Unidos da Tijuca, também vislumbra um possível patrocínio. “As escolas sorteadas deveriam contar, cada uma, um pedaço da história, para não incorrerem no risco de serem repetitivas”, sugeriu.

Luizinho Drumond, presidente da Imperatriz Leopoldinense, ressaltou que sua escola foi uma das primeiras a mostrar interesse em participar do sorteio. “Faremos uma bela festa, caso sejamos escolhidos”, comentou pela Internet. Para Chiquinho da Mangueira, a Verde e Rosa vai torcer para ser contemplada com patrocínio governamental. “Acho muito legal poder contar e cantar a história da cidade no Carnaval”, justificou.

Já Ney Filardi, presidente da União da Ilha, por sua vez, disse que o patrocínio da prefeitura já está na pauta de conversas “há um bom tempo com sua escola”. “O (Eduardo) Paes veio conversando comigo, com o Marcos (Falcon, vice-presidente da Portela) e o Flávio Horta há tempos”, revelou.

Fonte: O Dia

sexta-feira, 18 de abril de 2014

On 07:40 by Uanderson Aquino   No comments

A escola de samba, Mocidade Alegre de São Paulo hoje e uma das maiores agremiações do samba brasileiro. A cada ano a escola presidida por Solange Cruz Bichara Rezende tem demonstrado profissionalismo e feito apresentações impecáveis servindo com certeza de exemplo para outras escolas de samba do Brasil de como se administra uma escola de samba.

Neste ano a escola faturou novamente mais um titulo no carnaval de São Paulo, a escola do bairro do Limão, conquistou o tricampeonato com o enredo “Andar com fé eu vou que a fé não costuma falhar” conquistou os holofotes com a escola de joelhos em determinado trecho do desfile no sambódromo.

Conheçam um pouco da historia desta grande escola de samba, texto que esta na pagina oficial da escola.

“No Natal de 1948, chegava a São Paulo – procedente de Campos (RJ) – com um pequeno grupo de amigos, Juarez da Cruz, que em pouco tempo teria participação fundamental no desenvolvimento do Carnaval de São Paulo.

Em 1950 Juarez, seu irmão Salvador da Cruz e mais dois amigos resolveram sair no Carnaval vestidos de mulher. Saíram no sábado e só voltaram na Quarta-feira, para desespero de suas esposas e filhos. Nos anos seguintes o bloco foi aumentando, com a presença de outro irmão, Carlos.

Em 1958, o então prefeito Jânio Quadros iniciou um projeto de recuperação dos bondes e ônibus da capital, com forte publicidade, e os coletivos reformados passaram a circular com os dizeres “Primeiros Bondes Recuperados pela Prefeitura”.

Os integrantes do Bloco, num ato de grande irreverência carnavalesca, clamavam pela reabertura dos prostíbulos do Bom Retiro – fechados oito anos antes pelo governador Lucas Nogueira Garcez – onde trabalhavam as “mariposas”. E o bloco saiu com o nome de Bloco das Primeiras Mariposas Recuperadas do Bom Retiro, bairro em que Juarez e seus amigos moravam. Esse é um dos reais motivos para a notória proibição das mulheres no bloco, embora a maior parte dos componentes fosse casada.

Por imposição de um dos componentes do grupo, que se recusou a sair fantasiado de mulher, no ano de 1963, eles saíram de palhaços e percorreram a Avenida São João, onde a Rádio América promovia o Carnaval de rua com exclusividade. Enquanto o bloco passava em frente ao palanque armado próximo ao Cine Paissandu, o locutor Evaristo de Carvalho disse em alto tom: "É um bloco muito alegre, um bloco de sujos, como existem muitos no Rio de Janeiro...”.

Ao sentarem na esquina da São João com Conselheiro Crispiniano, aquela frase não saía de suas cabeças. Estavam no meio-fio, descansando, quando resolveram dar um nome ao bloco. Entre muitas sugestões o escolhido foi Mocidade Alegre, já que ao se apresentarem eles evocaram na lembrança do locutor os melhores tempos do Bloco Carnavalesco Mocidade Louca, de Campos e "alegre" foi o adjetivo usado para apresentá-los ao povo.

Outra grande novidade no Bloco das Mariposas, no mágico desfile de 1963 foi a presença, pela primeira vez, de uma mulher: Neide, esposa do Sr. Salvador Cruz, vestiu a fantasia de palhaço e foi para a avenida.

Juarez da Cruz trabalhava no supermercado Peg Pag desde 1955. No ano de 1964, um dos diretores, o francês François Bellot, casado com uma norte-americana, solicitou a presença do bloco em sua residência no carnaval do ano seguinte.

Em 1965 o bloco, agora com a participação de esposas e filhos, saiu de gregos. Entusiasmados, Bellot sugeriu a Juarez que aumentasse o número de componentes do Bloco e se preparasse para desfilar em Santos, onde a secretaria de turismo preparava um Carnaval de rua organizado - o que não ocorria aqui em São Paulo.

A rede de supermercados colaboraria, solicitando aos seus fornecedores de aves que cedessem as penas, o tema escolhido era índios astecas.

A lavanderia da organização cuidaria dos sacos de aniagem, antes embalagens de batatas, e que agora serviriam para a confecção das tangas. Os funcionários do departamento de Promoção cuidariam dos desenhos das fantasias dos índios latino-americanos.

Em 1966, foi escolhida a fantasia de espantalho. Para a confecção das fantasias foram comprados cetins, tafetás e sedas, recortadas posteriormente em tiras. O dinheiro foi arrecadado a partir de um livro de ouro assinado pelos diretores e fornecedores do Peg Pag e da rifa de um carro.

Mas, ao passarem perto dos componentes de uma escola de samba no Ibirapuera, numa promoção da Rádio Record, alguns ouviram um comentário nada delicado. Mais ou menos isso, entre espanto e total surpresa: "Que escola é esta! Toda esfarrapada. Que mau gosto..."

A Questão é que os autores da maledicência não sabiam diferenciar uma escola de um bloco. E que os tais "farrapos" tinham custado mais caro do que suas pretensas luxuosas fantasias.

Desde seu início, a Mocidade Alegre provocou os mais diferentes comentários, assim ocorreu em 1966, quando Phillipe Aladin, presidente do Supermercado Peg Pag, convidou o grupo para uma festa em sua residência.

Os funcionários que não desfilavam no bloco dividiram-se em duas correntes, uma chamava os componentes de "puxa-saco" outra que criticava o presidente por ter recebido em sua casa um bando de "negros pinguços".

Em 1967, o tema escolhido foi “Romanos”: os homens vestidos de gladiadores, com fantasias de pele de carneiros; e as mulheres tranças de damascos na cabeça.”

Fonte: Mocidade Alegre




terça-feira, 18 de março de 2014

On 19:27 by Uanderson Aquino   No comments

Uma notícia mexe com o mundo do samba. Nesta segunda-feira, o carnavalesco Paulo Barros anunciou sua saída da Unidos da Tijuca, a atual campeã, e o acerto com a Mocidade Independente de Padre Miguel. 

Paulo Barros acertou o contrato com a escola da Zona Oeste no fim da semana passada. Em entrevista ao site Tudo de Samba, o carnavalesco disse que acertou pessoalmente com o patrono Rogério Andrade e que levará para Mocidade seus coreógrafos Marcelo Sandryni e Roberta Nogueira, que são os responsáveis pelas coreografias feitas em alegorias e carros.

Fonte: carnavalesco

OPINIÃO

Fiquei feliz com essa noticia. Embora muito criticado pela forma de fazer seu carnaval, Paulo Barros sem duvidas é a grande novidade do carnaval dos últimos anos. Sua marca principal, as alegorias com coreografias apesar de criticadas ganhou adeptos não apenas em outras escolas cariocas, como também em muitas escolas de samba de outros estados.

Sem medo de estar exagerando, mas acho que Paulo Barros e o novo Joãozinho trinta que quando começou mostrar sua marca, com o luxo nas escolas de samba, o que era uma novidade para época, também foi muito criticado, porem no decorrer dos anos, sua forma de carnaval espetáculo, foi copiadas por todas as escolas de samba e é a atual forma de fazer desfile de escola de samba , tanto no Rio como em qualquer parte do Brasil.

Estar na Mocidade é renovar essa escola que desde a saída de Renato Laje, a escola ficou perdida, ficou sem referencia. Todos os anos se especulava o retorno de Renato Laje a escola. E como se a Mocidade não aceitasse a realidade de que Renato Laje já estava de alma e coração com o Salgueiro.

Acredito que Paulo Barros é o encerramento dessa lamentação da saída de Renato Laje, um sepultamento, ao mesmo tempo uma Mocidade Renovada que deixa de ficar olhando para trás.

O passado com Renato Laje foi excepcional, mas é passado, o presente e o futuro que importa, e acho que agora sim a Mocidade acordou para o presente. A Grande Mocidade Independente esta de volta!!

Por Uanderson

Eu recomendo

GeraLinks - Agregador de links Agregador de Links - O melhor conteúdo da net

Recent Posts

Link-Me
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...